8 de janeiro de 2018

No Dia do Fotógrafo, um bate-papo com nossa prata da casa: Thomaz Japiassú! Confira!

segundo-dia-bar-de-praia-3-28-2

Capturar momentos incríveis em fração de segundos. Técnica, luz, ângulo, sensibilidade, olhar apurado. No Dia do Fotógrafo, impossível não lembrar de quem eterniza nossos melhores momentos – em especial, do nosso colaborador Stylife há dois anos, Thomaz Japiassú.

A história do Stylife, aliás, se confunde com a história de Japiassú na Fotografia. Neste grande dia, nada mais natural do que, além de homenagear os grandes, valorizar a nossa prata da casa. Por aqui, um bate-papo muito especial com ele que já capturou as histórias mais incríveis do nosso Portal, de Milagres às inaugurações, jantares e happenings mara, passando por casamentos e aniversários inesquecíveis.

  • Por quê escolheu a Fotografia?

Na verdade, a fotografia me encontrou. Eu comecei há uns seis anos, mas muito despretensioso, depois que vi uma matéria na televisão em que falava de um fotógrafo que começou fazendo fotos de suas amigas com roupas de brechó e depois bombou. Aquilo me inspirou, daí ganhei minha primeira máquina da minha tia e segui nessa linha, arriscando alguns clicks de moda também com amigas minhas, mas nada passava de hobby. Nos últimos dois anos foi quando realmente me reconheci como fotógrafo, fiz alguns cursos e comecei a trabalhar no Portal Stylife, que foi o real começo de tudo.

  • Qual a sua marca registrada?

Hoje, meu ramo está voltado mais para eventos sociais e projetos personalizados. Eu prezo pelo momento real da coisa, o click espontâneo do acontecimento, tentando trazer sempre uma vibe de boas energias nos registros. É disso que as pessoas gostam e tem sempre um pouco de mim também.

  • Qual o momento mais marcante da sua carreira de fotógrafo desde que assumiu no Stylife?

Durante esses últimos anos tenho tido oportunidades incríveis, e conhecido pessoas especiais que sempre quis. Não tenho como pontuar só um, mas um dos momentos que me deixou mais contente foi ter feito fotos das peças da estilista Martha Medeiros nas praias de Maceió, de ter exposto três peças minhas na CASACOR Alagoas, e ter registrado o primeiro casamento na Capela dos Milagres. Também não posso esquecer-me da cobertura do Réveillon dos Milagres de 2017, que com certeza me trouxe um enorme aprendizado em seus seis dias de festa, tanto pessoal quanto profissional.

  • Que outros fotógrafos você admira? Onde busca inspiração?

Sem dúvida alguma, dois caras que sempre estão na minha mente e que acompanho tudo são o Raul Aragão, do Rio de Janeiro, e o Robison Kunz, do Rio Grande do Sul. Eles tem trabalhos totalmente diferentes: o primeiro é focado em lifestyle, viagens e projetos pessoais; o segundo é um fotógrafo de casamento que tive a alegria de conhecer pessoalmente – e que, em off, quase chorei.

  • O que mais gosta de fotografar quando não esta na função?

Sou apaixonado por fotografar mulheres e, em especial, moda, e confesso que curto muito fotografar a mim mesmo, como nas antigas. Mas, tenho pensado em fazer alguns projetos pessoais de fotografia de paisagem noturna e algo relacionado a viagens nos próximos anos. Quem sabe, expor em algum lugar uma linha mais autoral?

  • Qual dica daria pra quem está começando ou quer ingressar na carreira?

Acredito que o lance tá todo na seguinte pergunta: “Onde você quer chegar?”. Depois, quando se traça uma meta e gosta do que faz, é ter sede de conhecimento, acreditar e saber aproveitar as oportunidades de maneira humilde e com posicionamento. Cada dia é um dia e estamos sempre em constante aprendizado.